• Editor

Barreirinhas - MA

Atualizado: Abr 30

(14/11/2018)


Em 2011 tivemos o prazer de conhecer o Parque dos Lençóis Maranhenses e suas lagoas de águas azuladas e esverdeadas. Naquela época utilizamos todos os recursos disponíveis para um acesso “normal” como qualquer turista. Quando chegamos às dunas e lagoas não havia palavras que pudessem sobrepor o encantamento. Uma pena que a visita era tão rápida, que se não dava o devido tempo de apreciação necessário, ao menos para mim.

Para esta expedição fotográfica, o foco em Barreirinhas seria o rio Preguiças e sua foz no oceano. Em Barreirinhas foi do ICMBio que nos deu grande apoio logístico e informativo. atrás do nosso foco, o rio Preguiças. Numa primeira incursão já ficamos decepcionados, pois para o nosso trabalho imagético, a imagem do Preguiças está totalmente comprometida. A cada cem metros há um pequeno cais que leva a alguma lanchonete ou restaurante em ambas as margens do rio e por toda a sua extensão, além de jetstky e lanchas de pequeno e grande porte circulando o tempo todo. Isso até pode ser interessante ao turismo, mas ao nosso trabalho, nem um pouco.


A ideia de Evandro de fotografar o rio, foi literalmente por água abaixo. Decepcionados, resolvemos ir até Atins para conhecer as praias e belezas que tanto se fala. Para se chegar a Atins, é necessário um veículo traçado. Em tempo de seca é possível atravessar costeando o Parque dos Lençóis Maranhenses sem que haja necessidade de se contratar serviços de transporte locais e sem infringir as normas do parque. Mais uma vez não encontramos nada em especial além de um trajeto desafiador por areias pesadas, ressalto que isso para a realização do nosso trabalho. Em Atins há uma escola de Kind Surf que reúne pessoas de todo mundo, mas como isso estava para acolá de nosso interesse, voltamos para à base do ICMBio.


No dia seguinte iríamos tentar, de alguma forma, encontrar nosso objetivo no rio Preguiças, mesmo sem muita expectativa. Foi quando ao nos dirigirmos à balsa e a Valente resolveu nos surpreender, quebrou uma mola da suspensão. Em busca de oficina para o conserto, abortamos por completo a ideia de novas incursões. Após tratar de nossa “amiga”, deixamos Barreirinhas com um sentimento de frustração. (Texto Edemar Miqueta)



0 visualização
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

© 2019 Evandro Martin | SYNC Imagens