• Editor

Carutapera - MA

Atualizado: Abr 30

(04/12/2018)


Carutapera localiza-se na foz do rio Gurupi. Distante 560 km da capital São Luís, no qual o acesso se dá através da BR 316 e via Ferry-boat atravessando a baía de São Marcos. Tem uma relação e influência muito forte com o Pará. Hoje, Carutapera é governada pelo prefeito André Dourado e que em sua primeira gestão buscou uma sincronicidade de todas as secretarias. Uma curiosidade, ele se preocupou em colocar nos cargos, técnicos especializados em cada área de atuação. Confesso que é a primeira vez que vejo isso numa prefeitura, no Brasil.

Em Carutapera fomos recebidos pela secretária de Turismo e Meio Ambiente Roseane Maia e pela Oceanógrafa, Shirlen Cristina Castro. Roseane havia preparado um roteiro especialmente para nós com todos os pontos turísticos já conhecidos e outros de interesse para o desenvolvimento, além de áreas de proteção. A aventura seria de tirar o fôlego, nós nem imaginávamos o quanto. Carutapera tem uma paisagem natural incrível com suas praias amazônicas. Aqui o oceano Atlântico tem cores turvas por influência dos rios que banham a floresta, criando um contraste incrível nas praias de areias branquinhas e águas mornas.

Na manhã seguinte, encontramos com a equipe da Prefeitura Municipal, no porto de Carutapera, carinhosamente conhecido pela população de “Cais da Alegria”. Na equipe estavam presentes o chefe de gabinete, sr. Dudu Rodrigues, o assessor do prefeito sr. Carlos Alberto Silva, a secretária de Turismo e Meio Ambiente Roseane Maia, a oceanógrafa Shirlen Cristina Castro além do experiente e hábil barqueiro, Douglas. Neste dia realizamos uma verdadeira maratona marinha. Fomos conhecer e registrar a Ilha de Fora, Praia do Cabo, Praia do Lombo, Ilha da Pedra Branca e Ilhota do Sardinha. Locais escolhidos a dedo por Roseana Maia. Sem dúvida que as imagens só poderiam ficar maravilhosas tanto quanto os lugares visitados. Aquela sensação de que o mundo é só seu mais uma vez tomou conta de mim. Os pensamentos vêm e vão numa velocidade impossível de mesurar. O dia passou tão depressa que quando dei por conta o por do sol já se fazia no horizonte.

Na manhã seguinte, novamente no cais da alegria, nosso destino seria a praia do Juncal, que tem uma extensão de 5.5km, é a praia que mais adentra o oceano no Maranhão. Outro destino seria a praia de São Pedro (Praia Velha). O paraíso é aqui, disso não tenho dúvidas. A praia de São Pedro fica a aproximadamente 30 minutos de barco do Cais Alegre em Carutapera. Uma viagem emocionante, claro, a maré é quem comanda tudo. Rodeada de areias e manguezais, viveiros de aves marinhas. Os passeios são na companhia de garças e guarás que se alimentam no manguezal. Pelo caminho sobre as águas, tivemos a oportunidade de conhecer a rotina dos pescadores. Adentramos uma cabana que fica sobre as águas, aonde os pescadores permanecem por um tempo durante o trabalho. Pessoas cheias de conhecimentos que trazem dos pais e que, com certeza, passarão aos seus filhos. Uma experiência empírica fantástica. Numa outra comunidade de pescadores, tivemos o prazer de provar o “Avoado” – peixe assado com tudo, escamas e vísceras, o que mantém o frescor, depois de assado é limpo e servido. Quem visita São Pedro a tem uma acolhida que não é possível esquecer. Com a simplicidade e os sabores do litoral do Maranhão, Mônica - nativa que recebe os visitantes e prepara pratos com receitas típicas (98) 98410-2145 – nos acolheu em sua casa. Camarões frescos torrados, é o tira gosto inicial da farta mesa que nos aguardava.

Na foz do Gurupi, são 25 quilômetros de praias, algumas ainda primitivas. Imensos bancos de areia que surgem no fundo do oceano quando a maré baixa, são um espetáculo a parte. Infelizmente, por conta dos fortes ventos que vinham do oceano, não foi possível visitarmos um lugar fantástico, a Pedra do Gurupi, uma gigantesca formação rochosa, no meio do oceano. Ótimo destino para o turismo de aventura, pois a dificuldade de se chegar ao local o tornam ainda mais instigante. O local sofre forte influência das marés e dos ventos. Atracar ali, somente com mestres marinheiros com muita perícia e cuidado. Segundo a oceanógrafa Cristina Castro, a Pedra do Gurupi é mais uma das evidências da separação dos continentes. Todo o ecossistema da foz do Gurupi está protegida por lei a partir deste ano (2018) com a criação da RESEX Arapiranga – Trumaí, que deve proteger os recursos naturais utilizados pelas populações tradicionais e extrativistas e sobretudo, respeitar e valorizar o conhecimento e a cultura dos nativos. Um estilo de vida tão especial, que está sendo revelado ao mundo com cuidado, com o chamado Turismo de Base Comunitária. Segundo a secretária de turismo, Roseane Maia, é uma forma de fazer com que o turista venha e respeite os nativos. Também, poder acordar pela manhã e ter a oportunidade de vivenciar a rotina do pescador no momento em que ele retira o camarão, sentir o que eles vivem, é o que torna isso tudo muito interessante. “É um lugar aonde se tem tempo para pensar, refletir e assim, poder analisar algumas coisas que são de suma importância para as nossas vidas. Nos preocupar mais com a gente aqui e tomar conta desta natureza na qual a gente vive” – disse Ivanildo Souza Silva, pescador e nativo.

Carutapera necessita de novos investimentos do setor privado na hotelaria e gastronomia. A atual estrutura já não comporta o número bastante significativo de turistas que tem vindo conhecer e desfrutar das belezas do lugar. “Estamos abertos a receber novos investidores e em contrapartida, fazer o que nos cabe”, disse Roseana Maia, secretária de Turismo e Meio Ambiente de Carutapera. Quando vier ao Maranhão, você não pode deixar de conhecer este paraíso.

(Texto Edemar Miqueta)

13 visualizações
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

© 2019 Evandro Martin | SYNC Imagens