• Editor

Chapadinha - MA

Atualizado: Abr 30

(03/11/2018)


Chapadinha também é famosa por suas matas de cocais. Ali se encontra a RESEX Chapada Limpa. Resolvemos tomar algumas estradas terciárias na intensão de encontrarmos paisagens para compor o trabalho. Estradas de piçarra em alguns trechos, areia grossa em outros, buracos e pedras por toda parte. No caminho, diversas comunidades. As pessoas olhavam com curiosidade a nossa passagem. Passamos por alguns trechos totalmente desabitados. Corredores de cocais embelezam a estrada em toda a sua extensão. Ao chegar numa comunidade conhecida por Lobo, há cinquenta quilômetros de Chapadinha, já estávamos ansiosos pelo que seria possível fazer. Distraídos com a paisagem ao redor, a Valente andando em baixa velocidade, uma lombadinha a frente, e velocidade ainda mais reduzida, toda essa calmaria interrompida por um estrondo na roda esquerda. Parecia que a roda havia caído. Evandro imediatamente disse: m… deveria ter trocado o pivô. E com toda certeza, o pivô estourou. E agora? A 50 quilômetros da cidade. Uma sexta feira que é feriado (02 de novembro), danou-se. O jeito seria acampar por ali e tentar resolver isso no sábado, afinal o mínimo seria necessário comprar a peça e tentar trocar ali mesmo. Ou quem sabe tentar trazer um mecânico. Guincho por ali, impensável. Não existe. Logo a nossa frente havia uma casa de taipa e alguém estava a consertar uma moto. Fui até ali para apresentar a nossa situação e avisar que iríamos acampar. De pronto o moço se prontificou a nos ajudar. Ofereceu uma casa que estava mais adiante e estava vazia para que pudéssemos montar nosso acampamento. Ofereceu água e perguntou se estávamos com fome. Que iria tentar encontrar alguém que pudesse levar um de nós, de moto, até a cidade. A esposa do rapaz passou a mão numa vassoura e foi varrer a casa para que pudéssemos nos abrigar, e assim fizemos. Certos de que naquele momento não seria possível resolver o problema, nos aquietamos e mintamos acampamento dentro da casa.


Logo que a noite caiu, Evandro decidiu fotografar aquela que seria nossa casa por uma noite. A luz de velas e usando de longa exposição fez uma imagem incrível que mostrou um outro viés daquela situação. No dia seguinte, nosso anfitrião Raimundo Cardoso, pediu a seu irmão, Rosivaldo Cardoso, que me levasse até a cidade para tentar resolver o problema. Acabou encontramos um mecânico disposto a vir até a comunidade e comprei as peças. Uma viagem de cem quilômetros pela piçarra e tudo resolvido, a Valente estava de novo na ativa. Raimundo nos convidou para entrar em sua casa e refrescar o corpo que estava ardendo de calor. Nisso, Evandro percebeu que estava sobre um móvel, um Gibão completo, Raimundo e seu irmão eram Vaqueiros de Couro. Sem exitar perguntamos se seria possível fotografá-los.


A paisagem era tão perfeita quanto a situação que se apresentava. Era sábado, dia de descanso da família. Rosivaldo sugeriu que apenas o irmão, Raimundo, fosse fotografado. O mais jovem não recusou e marcamos para mais tarde. Depois de um bom cochilo (desmaiamos por quase toda a tarde) voltamos a casa de nosso anfitrião para realizar o acordado. Raimundo precisou sair para resolver algum problema, o sol já estava no ponto para uma bela imagem. Fazer o quê? Já estávamos conformados e também era preciso seguir adiante. De surpresa surge um rapaz de moto, amigo de Raimundo, tratava-se de Raimundo Francisco Sales Monteles, também um Vaqueiro de Couro. Por sugestão de Rosivaldo, o moço fotografaria no lugar do irmão. Fomos a campo e Evandro iniciou. Imagens lindas. A paisagem, a luz e o “ator”, tudo perfeito. Não demorou e Raimundo Cardoso chegou e tudo ficou ainda melhor. Agora, nosso anfitrião passou a dirigir o ensaio, fazendo com que a imagens captadas ficassem maravilhosas. Fui uma experiência sem igual durante esta Expedição. A forma com a qual fomos acolhidos e auxiliados mexeu muito com nossos sentimentos. Ainda vale a pena acreditar que existe gente de coração puro neste mundo. Ali, novamente novos amigos que o Universo coloca em nossas vidas. (Texto Edemar Miqueta)


7 visualizações
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

© 2019 Evandro Martin | SYNC Imagens